O que mudou depois de um mês?

Se fosse em outro momento da minha vida, eu diria que nada tinha mudado. Poderiam se passar meses, anos, a vida toda e eu continuaria a mesma de sempre. Sempre soube que esse ano seria diferente, que eu teria mais decisões a se fazer, mais responsabilidades e teria que  começar a ralar para realizar meus objetivos. Até aí tudo bem, eu estava me preparando psicologicamente para isso.

O que eu não esperava era não passar na faculdade que eu queria e ter que optar pro meu plano B, fazendo assim eu ir para um curso que eu não queria. Acontece, fazer o que. Nem tudo vai ser como a gente planeja. De qualquer forma, o primeiro semestre de 2014 foi um período de confusão, transição e aceitação. Não ia fazer algo que eu não gostasse só pela faculdade ser de graça.

Eis que começo o curso que eu queria (depois de muitas brigas e comentários horríveis) e já começo com um probleminha. Me matricularam num turno que não tinha. Pô, parece bobagem se preocupar com isso né, mas imaginem eu, chegando na faculdade explodindo de esperança para que dessa vez dê certo esse lance de Jornalismo e quando vou atrás da minha sala… ela não existe. Pois é, comecei a achar que isso era um sinal pra não fazer o curso. Mas como uma boa teimosa, eu resolvi fazer à noite.

Pode parecer precipitado dizer isso depois de um mês, mas eu estou apaixonada pelo curso, pela turma, pelas amizades que eu estou fazendo. Estou gostado de um forma que eu não conseguiria gostar se não tivesse arriscado mudar de faculdade tão rápido. Aquela dúvida que eu tinha antes sobre fazer a coisa certa já era, eu sinto que eu estou no caminho certo.

Mas não é tão fácil como parece. Para uma pessoa extremamente tímida como eu, todo dia é um desafio. Quem me conhece sabe que falar em público sempre foi um problema para mim. Sempre fui muito quieta e na minha, mas assim como fiz dança, teatro e modelagem para para perder a timidez, a faculdade de Jornalismo é mais um meio que vai me ajudar a me expressar. Eu tenho consciência que as coisas vão ficar mais difíceis mas eu pretendo arriscar quantas vezes forem necessário para conseguir o que eu quero.

Siga o blog no twitter: @blogalicerrada

Anúncios

Últimos filmes que eu assisti

filmes

Depois que eu assinei o Netflix, assistir filmes ficou mais fácil do que nunca. Graças a isso, pude conhecer filmes que normalmente não procuraria na internet para assistir, como filmes em italiano e francês. Nunca tinha assistido um filme numa língua que não fosse português ou inglês, juro! Mas como vocês vão perceber, 75% dos filmes dessa listinha são em línguas que eu não sei mais do que duas palavras. Me senti uma criança tentando entender as palavras mais simples, mas foi uma experiência bacana.

Azul é a cor mais quente

O filme explora o amor homossexual de forma muito intensa. Nele conhecemos Àdele, uma adolescente que se apaixona à primeira vista pela intrigante garota de cabelos azuis chamada Emma. De forma bem inocente,  Àdele se entrega de corpo e alma ao romance, se descobrindo ao lado de Emma e enfrentando os desafios e preconceitos de uma relação. O filme causou polêmica por causa das cenas de sexo longas e explícitas entre o casal, o que, independente do que dizem, ainda há muito preconceito. Outra coisa que me prendeu no filme foi o final anti-romântico que está sendo cada vez mais explorados nos filmes atuais. É um filme ótimo que mostra o amor e as dificuldades de qualquer relacionamento e vale muito a pena assistir.

A vida é bela

O filme se passa na Itália durante a Segunda Guerra Mundial, quando o judeu Guido e seu filho Giosué são levados para um campo de concentração. Sabendo dos horrores que se faziam lá, Guido convence seu filho de que tudo aquilo era um jogo e que eles tinham que ganhar custe o que custar, tudo para preservar a inocência de seu filho. É um filme incrível que mostra o amor e os sacrifícios de um pai para o filho. Todos deveriam assistir esse filme.

O fabuloso destino de Àmelie Poulain

Quando Àmelie encontra uma caixa de lembranças escondida pelo antigo dono em sua casa, decide procurá-lo para devolver e fica impressionada ao ver a emoção de Dominique ao ver o objeto novamente. Àmelie então fica encantada e inspirada a ajudar outras pessoas, encontrando um sentido para a sua existência. Entretanto, ela continua solitária e à espera de um amor, que parece cada vez mais próximo. É um filme com uma fotografia incrível e uma história fofa, que vale a pena assistir.

Easy A

É o único filme hollywoodiano da lista, interpretado pela queridíssima Emma Stone, onde faz o papel de Olive, uma adolescente que não era notada por ninguém, até começar um boato de que ela não era mais virgem. Apesar de não querer ficar conhecida por causa de uma mentira, ela estava gostando da atenção que as pessoas estavam lhe dando. O boato fica pior quando ela aceita ajudar seu amigo gay Brandon, fingindo que eles tinham transado numa festa onde toda a escola estava presente, o que deu a ela o título de vadia da escola. Mas é claro, as coisas não podiam parar aí e tudo fica bem pior. O filme mostra bem o estereótipo de uma escola americana e o quão longe uma mentira pode chegar.

Resenha: Quem é você, Alasca?

Jonh Green, 229 páginas – Editora WMF Martins Fontes, São Paulo, 2010. Título original: Looking for Alaska.

 Passamos a vida inteira no labirinto, pensando em como um dia conseguiremos escapar e como será legal. Imaginar esse futuro é o que nos impulsiona para a frente, mas nunca fazemos nada. Simplesmente usamos o futuro para escapar do presente.

Quem é você, Alasca? Conta a estória de Miles Halter, um adolescente que ‘coleciona’ últimas palavras e vai para a Escola Preparatória de Culver Creek, na Flórida, em busca do que François Rebelais chamou de ‘’O Grande Talvez’’. Lá, ele conhece seu colega de quarto, Chip – Coronel – Martin, que o apresenta ao grande labirinto de sua vida: a intrigante, misteriosa e explosiva, Alasca Young.

Alasca é uma personagem bem construída e bastante intrigante. Logo no início, pode-se perceber que ela teve um passado sombrio que a atormenta porém pouco diz-se sobre isso. Aos poucos, Miles vai descobrindo pequenos detalhes sobre a garota, como que ela veio de Vine Station, no Alabama, gosta de ler e tem um namorado. Miles logo se apaixona pelo jeito impulsivo e elétrico de Alasca.

Agora cumpre a dizer que a garota era linda. Ao meu lado, no escuro, ela cheirava a suor, sol e baunilha, e, naquela noite fina de lua crescente, eu não enxergava muito mais do que a sua silhueta, exceto quando ela fumava, então a ponta chamejante do cigarro banhava seu rosto com uma pálida luz avermelhada. Mesmo no escuro, eu podia ver seus olhos – ferozes esmeraldas.

O livro é dividido em um Antes Depois e a demarcação dos capítulos é feita com uma contagem regressiva no Antes e crescente do Depois. Durante a estória, a vida de – Miles (Gordo), Coronel, Alasca, Takumi e Lara se resume a cigarros, bebidas e namoro, mas sem cair naquele drama adolescente.

Apesar de Miles ser o protagonista, a estória gira completamente em torno da Alasca, que mesmo sendo bem irritante, me encantou desde o começo. Alasca parece estar sempre numa animação quente, mas por dentro parece ser uma garota muito deprimida e mesmo sem seus amigos perceberem, ela aos poucos vai demonstrando o que realmente sente para eles, até que vem o Depois.

O clima de alegria desacelera um pouco quando o Depois começa. Muitas perguntas continuam sem respostas e Miles quer encontra-las. John Green novamente transformou uma história clichê em algo inédito que te faz suspirar, chorar e ficar com raiva ao mesmo tempo. Apesar de ter lido diversas pessoas reclamarem que a estória não era tão boa, esse livro foi muito mais do que eu esperava.

Quem é você, Alasca? É uma leitura instigante que te mostra muitas filosofias interessantes e passagens bem construídas, além de ter uma capa maravilhosa. Recomendo essa leitura e todos os livros do John Green, que está se mostrando um grande escritor em todas as suas obras.

Eu sei que ela me perdoa, assim como eu a perdoo. As últimas palavras de Thomas Edison foram: ‘’O outro lado é muito bonito.’’ Eu não sei onde fica o outro lado, mas acredito que seja em algum lugar e espero que seja bonito.

Se alguma das fotos que ilustram o post for de sua autoria, entre em contato para eu dar os devidos créditos.

Séries que assisti recentemente

fotodopostComo vocês sabem, algumas semanas atrás eu não fazia nada de útil do meu tempo, agora finalmente voltei a estudar e estou atrás de um emprego… Mas, enquanto eu não tinha nada pra fazer, o que me salvava de cair numa depressão de tanto tédio era passar o dia deitada no sofá assistindo tv esperando algum milagre acontecer. Utilizei meu tempo livre muito bem, né? Devo ter quebrado algum recorde por aí de mais séries assistidas em um período de tempo e é sobre essas séries que eu vou falar sobre hoje.

The 100

The_100

A série se passa 97 anos depois que uma guerra nuclear aconteceu na terra. Os que sobreviveram vivem em estações espaciais de doze países diferentes, que se juntaram e formaram a Arca. Com os recursos acabando, se os que viviam ali não encontrassem uma forma de sobreviver, todos que estavam na Arca morreriam. Para protelar a vida útil da Arca, 100 jovens que seriam mortos depois que atingissem a maior idade por terem cometido algum crime foram enviados à Terra para testar se era possível se restabelecer novamente no planeta. O que eles não sabiam era que a radiação era o menor dos seus problemas.

Under the Dome

underthedome

Baseada no livro de Stephen King, Under the Dome se passa na cidade de Chester’s Mill, uma pequena cidade no Maine, que, de uma hora para outra chama a atenção de todos por causa de uma misteriosa barreira invisível que circula toda a cidade. A redoma deixa os cidadãos da cidade isolados de tudo do lado de fora, não há sinal de telefone, internet ou tv a cabo. Sem saberem o porque daquilo estar acontecendo, muitos entram em pânico, fazendo tudo virar um caos. A série conta com duas temporadas e está sendo transmitida pela Globo. Não gostei muito da série porque ela viaja demais, os personagens são sem graça, com exceção da Julia e do Barbie e eu ainda não entendi o que diabos é aquela redoma. Alienígena? Experiência secreta? Acidente nuclear? Vai saber…

Pretty Little Liars

pll

Depois do desaparecimento de Alison DiLaurentis a pacata cidade de Rosewood nunca mais foi a mesma. Suas amigas antes inseparáveis, se distanciaram, mas um ano depois do desaparecimento de sua ”líder”, elas acabam se aproximando depois que encontram seu corpo e descobrem que a amiga foi assassinada. Tudo fica pior ainda depois que as quatro começam a receber mensagens anônimas assinadas por ”A” que ameaçavam contar segredos que apenas Alison sabia. Sem saber se estavam lidando com o assassino de sua amiga ou se Alison estava mesmo morta, as meninas tem que andar na corda bamba para sair dessa situação.

Orange is the new black

OITNB

A série se passa na prisão federal Litchfield, onde a protagonista Piper Chapman terá que cumprir 15 meses de pena por ter participado de um crime cometido 10 anos atrás junto com a sua ex-namorada Alex Vause, que estava envolvida no cartel internacional de drogas. Piper saiu da vida de lésbica e criminosa e seguiu a vida com seu noivo Larry. Quando foi pra cadeira, ela teve que lidar com as loucuras da prisão, regras e com companheiras de cela malucas. Para melhorar mais ainda a situação, Piper encontra Alex e tenta odiá-la a todo o custo, mas fica difícil ignorá-la depois de tudo o que aconteceu.

Já assistiram essas séries? O que acharam? Eu estou completamente viciada em Orange is the new black.