Resenha: Quem é você, Alasca?

Jonh Green, 229 páginas – Editora WMF Martins Fontes, São Paulo, 2010. Título original: Looking for Alaska.

 Passamos a vida inteira no labirinto, pensando em como um dia conseguiremos escapar e como será legal. Imaginar esse futuro é o que nos impulsiona para a frente, mas nunca fazemos nada. Simplesmente usamos o futuro para escapar do presente.

Quem é você, Alasca? Conta a estória de Miles Halter, um adolescente que ‘coleciona’ últimas palavras e vai para a Escola Preparatória de Culver Creek, na Flórida, em busca do que François Rebelais chamou de ‘’O Grande Talvez’’. Lá, ele conhece seu colega de quarto, Chip – Coronel – Martin, que o apresenta ao grande labirinto de sua vida: a intrigante, misteriosa e explosiva, Alasca Young.

Alasca é uma personagem bem construída e bastante intrigante. Logo no início, pode-se perceber que ela teve um passado sombrio que a atormenta porém pouco diz-se sobre isso. Aos poucos, Miles vai descobrindo pequenos detalhes sobre a garota, como que ela veio de Vine Station, no Alabama, gosta de ler e tem um namorado. Miles logo se apaixona pelo jeito impulsivo e elétrico de Alasca.

Agora cumpre a dizer que a garota era linda. Ao meu lado, no escuro, ela cheirava a suor, sol e baunilha, e, naquela noite fina de lua crescente, eu não enxergava muito mais do que a sua silhueta, exceto quando ela fumava, então a ponta chamejante do cigarro banhava seu rosto com uma pálida luz avermelhada. Mesmo no escuro, eu podia ver seus olhos – ferozes esmeraldas.

O livro é dividido em um Antes Depois e a demarcação dos capítulos é feita com uma contagem regressiva no Antes e crescente do Depois. Durante a estória, a vida de – Miles (Gordo), Coronel, Alasca, Takumi e Lara se resume a cigarros, bebidas e namoro, mas sem cair naquele drama adolescente.

Apesar de Miles ser o protagonista, a estória gira completamente em torno da Alasca, que mesmo sendo bem irritante, me encantou desde o começo. Alasca parece estar sempre numa animação quente, mas por dentro parece ser uma garota muito deprimida e mesmo sem seus amigos perceberem, ela aos poucos vai demonstrando o que realmente sente para eles, até que vem o Depois.

O clima de alegria desacelera um pouco quando o Depois começa. Muitas perguntas continuam sem respostas e Miles quer encontra-las. John Green novamente transformou uma história clichê em algo inédito que te faz suspirar, chorar e ficar com raiva ao mesmo tempo. Apesar de ter lido diversas pessoas reclamarem que a estória não era tão boa, esse livro foi muito mais do que eu esperava.

Quem é você, Alasca? É uma leitura instigante que te mostra muitas filosofias interessantes e passagens bem construídas, além de ter uma capa maravilhosa. Recomendo essa leitura e todos os livros do John Green, que está se mostrando um grande escritor em todas as suas obras.

Eu sei que ela me perdoa, assim como eu a perdoo. As últimas palavras de Thomas Edison foram: ‘’O outro lado é muito bonito.’’ Eu não sei onde fica o outro lado, mas acredito que seja em algum lugar e espero que seja bonito.

Se alguma das fotos que ilustram o post for de sua autoria, entre em contato para eu dar os devidos créditos.
Anúncios

8 comentários sobre “Resenha: Quem é você, Alasca?

  1. Meu dois livros favoritos do Green são O Teorema Katherine e Cidades de Papel… Li Quem é você, Alasca meio que na insistência, depois de tê-lo abandonado logo nas primeiras páginas… Muitas pessoas que leram amaram a personagem mas realmente eu a achei uma garota maluca e meio safada kkkkk vai entender né?

    Curtir

Deixe um comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s