Carta

Querido tio,

Você sempre esteve comigo pra tudo. Ia me buscar na escolinha, comprava pirulito para mim e me ensinou a andar de bicicleta sem rodinhas. Muito obrigada por estar lá por mim.

Sinto muito por tudo o que está acontecendo agora. Eu não pedi por isso. E eu sei que você também não. Pessoas ruins não esperam que algo ruim aconteça a elas, não é mesmo?

Estou escrevendo para pedir perdão. Perdão por ter lhe causado desejo mesmo eu sendo uma criança. Perdão por ter ficado assustada quando você tirou a minha roupa. Perdão por ter sentido medo quando suas mãos alisaram meu corpo. Perdão por querer gritar quando eu senti a minha carne rasgando.

Você tapou meus gritos. Mas não precisava fazer isso, titio. Mamãe e papai sabiam. Eles estavam lá o tempo todo. Não é culpa sua titio, voce me amava muito, eu entendo. Era o que meus pais diziam. Era o que você dizia também. E o que o mundo via. Mas eu via a verdade e ninguém acreditava nela.

Estou doente, tio. Descobriram que eu tenho uma doença que não tem cura. As enfermeiras dizem que eu peguei dos meus pais mas você sabe que não foi deles que eu peguei. Elas vão descobrir de quem foi. Eu espero que elas descubram titio, me perdoe por ser tão egoísta assim.

A cada dia que passa eu fico mais fraca. A doença que eu tenho atrai outras doenças, foi o que eu ouvi dizerem para o papai. Eu só não tive sorte como o senhor de ficar saudável. As enfermeiras descobriram que eu não peguei dos meus pais. E agora, tio? O que vai acontecer quando descobrirem? Eu vou melhorar?

Eles querem te denunciar, tio. Não meus pais, é claro que não, as pessoas do hospital. Eu ouço eles conversando. Eles sabem que foi você. O que você fez. Minha mãe está chorando, titio. Mas não é por mim. Não pelas coisas que eu passei e nem pela situação em que estou. Ela chora por sua causa. Disse que você vai ser preso por minha causa. Me perdoe.

Não sei se conseguirei sair do hospital, tio. Está difícil de respirar e dói muito. Onde você está? Eu vi que a polícia levou você. Estão culpando o senhor. Mas se a culpa era sua, por que mamãe me olha desse jeito, como se fosse na verdade fosse minha?

Mamãe pediu para eu escrever para você. Não sei se ela vai entregar. Disse para eu escrever que eu perdoo você. Vai ser mais fácil te tirar da cadeia se eu perdoar você. Não se preocupe, titio. Meu pai está tentando te tirar da cadeia.

Logo você vai estar livre para viver do jeito que quiser. Mas eu não. Sempre vou estar presa as memórias, titio. Eu era apenas uma criança. Você me machucou. Mas eu te perdoo. Eu perdoo você por tirar a minha saúde, por me passar uma doença, por acabar com a minha infância, por ter feito meus pais me odiarem, por ter me machucado. Eu te perdoo, tio.

Você sempre foi meu tio favorito.

Obs: Texto de cunho ficcional baseado nessa notícia: https://www.acritica.com/channels/hoje/news/menina-de-11-anos-contrai-aids-apos-ser-estuprada-pelo-tio-em-sua-casa

Anúncios

101 coisas em 1001 dias

O tempo passou tão rápido que eu nem percebi! 1001 dias se passaram e 47 itens das 101 coisas planejadas foram realizadas. Gostaria de ter realizado mais? Com certeza. Principalmente as relacionadas a viagens mas vida que segue. Achei essa ideia de botar metas a médio prazo tão legal que resolvi fazer outra lista. Dessa vez vou colocar metas mais reais. É bem estranho ver a primeira lista e perceber que tantas coisas que eu queria em 2014 acabaram deixando de ser prioridade.

Vou deixar a lista incompleta por que com o passar do tempo, sei que vou ter mais metas a cumprir e não quero colocar itens simplesmente para preencher. Mas enfim, vamos a lista.

Início: 12/04/2017

Fim: 08/01/2020

 

  1. Fazer amigos pelo Br/mundo
  2. Começar o curso de espanhol
  3. Doar sangue
  4. Mudar o cabelo
  5. Escrever um livro
  6. Aprender a fazer quadradinho
  7. Aprender a tocar um instrumento musical
  8. Amadurecer
  9. Zerar Super Mario World
  10. Ganhar flores
  11. Ter uma festa surpresa
  12. Fazer um ensaio sensual
  13. Juntar dinheiro
  14. Extrair os sisos
  15. Me mudar para SP
  16. Fazer trabalho voluntário
  17. Ganhar um prêmio
  18. Melhorar a minha escrita
  19. Tirar mais de 800 no TOEIC
  20. Ler mais livros em inglês
  21. Guardar 5 reais para cada meta realizada
  22. Escrever um livro-reportagem
  23. Me formar em Jornalismo
  24. Ter a nota do coeficiente acima de 9 pontos
  25. Começar a pós-graduação
  26. Começar outra faculdade
  27. Ficar satisfeita com o meu corpo
  28. Pesar 55 kg
  29. Usar tamanho 38
  30. Fazer aulas de dança
  31. Fazer aulas de ioga
  32. Fazer 1 ano de academia
  33. Fazer um intercâmbio de trabalho
  34. Fazer um intercâmbio de estudo
  35. Conhecer a Disney
  36. Fazer intercâmbio voluntário
  37. Visitar 3 países
  38. Renovar o passaporte
  39. Viajar sozinha
  40. Comprar um notebook
  41. Comprar um celular quando o meu 5c pedir arrego
  42. Comprar o carregador da câmera fotográfica
  43. Comprar uma mochila
  44. Fazer um piquenique
  45. Ir numa festa LGBT
  46. Andar de bicicleta
  47. Me hospedar em um hotel
  48. Ter coragem de usar bíquini
  49. Nas férias, ir todo dia para a academia fazer 2 aulas de aeróbica e musculação
  50. Fazer aula de tecido circense
  51. Fazer aula de pole dance
  52. Agradecer a Deus
  53. Fazer outra tatuagem
  54. Viajar com meus amigos
  55. Ir no musical de Os Miseráveis
  56. Ter um texto meu publicado em um blog, revista ou jornal
  57. Ser mais positiva

Uma breve reflexão sobre 13 Reasons why

C7nxvGcXQAAC153
Os 13 Porquês é a nova série da Netflix inspirada no livro de mesmo nome escrito pelo Jay Asher e publicado no Brasil pela Editora Ática. Acompanho as especulações sobre a adaptação do livro desde que o li lá pelos meus 13, 14 anos, quando os boatos era de que a Selena Gomez seria a protagonista. A adaptação acabou se transformando numa série da Netflix com 13 episódios. Estreada na última sexta-feira, 31/3, Os 13 Porquês caiu no gosto da maioria dos adolescentes e jovens adultos, sendo muito comentada nas redes sociais.

A série  é protagonizada por Hannah Baker, uma garota do segundo ano do ensino médio que comete suicídio. Antes de tirar sua vida, Hannah gravou fitas contando a sua história e os motivos pelo qual escolheu deixar de viver, deixando-as para as pessoas que causaram isso. Cada fita envolve uma pessoa e como ela foi responsável pela decisão de Hannah de cometer suicídio.

O motivo de eu estar escrevendo esse texto não é pra divulgar a série mas fazer uma leve crítica às pessoas que assistiram. Não vou focar no suicídio mas nos pequenos motivos que o antecedem. O que eu percebi nas redes sociais foi um grande aumento de ”textões de facebook” falando sobre como as pessoas se identificaram com a Hannah.

Primeiramente, a série é bem pesada para quem sofre de depressão. Não recomendo pessoas com a mente frágeis assistir. Foi pesada para mim que tenho grande sensibilidade a esses assuntos então nem imagino o quanto deva ser perigoso alguém que sofra de algum problema mental assistir uma série como essa.

Se mesmo assim você queira assistir, tome cuidado. A série é para pessoas que não entendem o que se passa na mente de uma pessoa suicida. É para conscientizar sobre as consequências que o bullying pode causar nas vidas das pessoas. Para tirar da mente das pessoas aquelas respostas do tipo ”É frescura” ou ”Você é muita dramática” e até ”Mas você já tentou não ligar pra isso?”. Ainda haverá gente que falará esse tipo de coisa depois de assistir? Sim, com certeza. Mas não é sobre essa gente que eu quero falar….

Para quem não sabe e isso é um spoiler, Hannah cortou os pulsos e sangrou até a morte por uma série de motivos que pareciam pequenos mas que juntos formaram uma bola de neve que acabou com o psicológico dela. Muitas pessoas se identificaram com isso. Com os pequenos motivos que os deixaram para baixo em algum momento e que ainda os assombram. Se identificaram com a dor da Hannah, com as razões bastante comuns que adolescentes e jovens adultos vivenciam diariamente na vida.

Ao meu ver, essa é a mensagem que a série passa. Que você não sabe o que a pessoa ao seu lado está passando, você não pode ter ideia de como algo banal pra você pode ter grande importância na vida de alguém. Ninguém pode ter noção do esforço que uma pessoa pode estar fazendo nesse exato momento para estar ali e com uma palavra você pode destruir tudo.

Voltando aos textões de facebook, li algo que me chamou bastante atenção. Uma moça, cujo nome obviamente não será citado, postou uma crítica sobre as pessoas conhecidas terem se identificado com a história da Hannah. No seu texto, ela criticava ironicamente colegas de ensino médio e fundamental terem se identificado com a Hannah uma vez que, para ela, essas pessoas foram um dos seus porquês.

Vamos enfatizar uma coisa: ninguém sabe o que o outro passa. Não existe ser humano perfeito. Sua dor não é maior do que a de ninguém. Cada um lida com as coisas do seu jeito. Em algum momento da vida, nós já fizemos algo que magoou alguém. Podemos não ter consciência disso, mas já magoamos alguém com nossa palavras, gestos, decisões ou sabe Deus o que. Somos humanos.

Entenda que, a pessoa que magoou você pode ter sido magoada por outra pessoa.

Você magoou outra pessoa.

Essa outra pessoa magoou outra.

Se tornou um ciclo sem fim.

Ninguém sabe onde começou nem onde termina.

Pare de monopolizar a dor.

Os níveis de dores.

Os motivos pelos quais alguém chegou a isso. Tenham empatia.

O que eu estou querendo dizer é: não sejam hipócritas de achar que um dos ”seus porquês” também não tem uma lista de ”porquês”. O universo está aí para trazer de volta tudo o que demos a ele. Magoamos alguém? Pode ter certeza que alguém nos magoará. Amamos alguém? Alguém nos amará. É a lei do retorno.

Todos temos nossos porquês.