Resenha: PS Ainda amo você

PS: Ainda amo você é o segundo livro da duologia escrita pela Jenny Han e publicado no Brasil pela Editora Intrínseca. Em Para todos os garotos que já amei, o primeiro livro dessa duologia, Lara Jean têm suas cartas amorosas enviadas misteriosamente. Essas cartas porém, não são de pessoas que mandaram para ela e sim cartas de amor que ela escrevera para todos os garotos que ela já gostou. A confusão se faz pois um dos garotos que recebeu a carta foi o recente ex-namorado da sua irmã Margot. Para tentar concertar as coisas, Lara Jean acaba arranjando um namorado de mentirinha e torna as coisas bem mais complicadas.

IMG_4878
Em PS: Ainda amo você, Lara Jean resolveu seus problemas com as cartas, com a sua família e o seu namorado de mentirinha virou seu namorado de verdade. Peter Kavinsky é o namorado mais fofo do mundo mas claro ele consegue estragar tudo por ficar dando atenção para a ex-namorada vadia dele e deixar Lara Jean morta de ciúmes.
Aqui, Lara Jean tem que lidar com as inseguranças e desafios de um relacionamento pela primeira vez. Além de ter que lidar com a presença da ex-namorada, a saudade da irmã mais velha, encarar o bullying cibernético de ter um dos seus momentos mais íntimos divulgados na internet e o aparecimento de um dos garotos das cartas enviadas. Então, para variar, a vida da Lara Jean é uma tremenda confusão que ela não faz ideia de como sair.
Eu particularmente gostei mais da história do primeiro livro, mas a narrativa leve e rápida continua presente na história, dando aquele feeling que você não consegue largar o livro até chegar ao fim. É uma história adolescente muito divertida, envolvente e inspiradora. Apesar de ser uma história leve, ela trata assuntos importantes como cyberbulling de forma excepcional.

Para saber mais sobre o primeiro livro, assista a resenha dele feita no canal do Youtube:

Resenha: Dois irmãos

Milton Hatoum – 18ª reimpressão – São Paulo: Companhia das Letras, 2006. 198 páginas. ISBN: 978-85-359-0833-6

Dois irmãos narra a história dos gêmeos Omar e Yaqub, descendentes de libaneses que moram em Manaus durante o regime militar. A história narra a tragetória dos gêmeos desde a infância, quando, depois de um incidente, Yaqub é mandado para o Líbano. Os gêmeos possuem personalidade opostas, o que acarreta grande influência na vida de toda a família desde então. Dona Zana, mãe dos gêmeos, não deixou que Omar fosse mandado para o Líbano por considerá-lo um garoto frágil que não sobreviveria sem ela, deixando claro a sua preferência pelo filho.

A narração de Dois irmãos é contada pelo filho da empregada que vive na casa, onde pelas lembranças do Halib (pai dos gêmeos), ele narra o passado da família e com o tempo passa a narrar com suas próprias vivências. Quando Yaqub volta do Líbano, a hostilidade entre os irmãos parece ter aumentado. Enquanto seu irmão estava exilado no Líbano, Omar fora extremamente mimado por sua mãe, se tornando um curumim mimado, bêbado e vagabundo. Por outro lado, Yaqub se tornou um moço dedicado, estudioso e que faz o que for preciso pra chegar onde quer.
O mais interessante desse livro é a riqueza de detalhes amazônicos presentes na história. Infelizmente, eu não tenho o costume de ler muitos livros nacionais e muito menos do meu próprio Estado. Então ler Dois irmãos foi fascinante pra mim. A forma que o autor descreve Manaus é tão rica em detalhes e cultura que mesmo morando aqui a minha vida toda eu não tinha percebido esses pormenores. O autor também descreve o choque da imigração naquela época e faz uma crítica ao regime militar.

Apesar da tragetória dos irmãos ser bem descrita durante a história, a trama é focada principalmente na repercussão que os gêmeos causaram na vida do resto da família. Pode parecer apenas uma história clichê com gêmeos opostos mas Dois irmãos é bem mais que isso. Com uma descrição amazônica espetacular como plano de fundo que pode deixar pessoas de outros estados ou mesmo amazonenses desnorteados com os detalhes, Dois irmãos é uma história sobre rivalidade, ódio, perdão e decisões erradas.
Milton Hatoum é um escritor amazonense nascido em 1952. Ele estudou arquitetura, foi professor de literatura brasileira na UFAM e na Universidade da Califórnia. Seu primeiro livro foi Relato de um certo oriente publicado em 1989 e vencedor do prêmio Jabuti de melhor romance do ano. Dois irmãos foi lançado no ano 2000, foi traduzido para 8 idiomas e também foi ganhador de um prêmio Jabuti.

Meu primeiro contato com esse livro foi quando eu entrei na faculdade de Letras. Ele era uma das leituras obrigatórias e eu recém-saída do ensino médio ainda estava com aquele pensamento de que leituras obrigatórias eram chatas. Voltei a lembrar desse livro na minha faculdade atual quando um professor de leitura e produção de texto indicou o mesmo. Demorei para finalmente lê-lo mas  não estou nem um pouco arrependida. Volto a destacar o quão rico de detalhes o texto dessa obra é. Vale a pena ler só pela descrição de Manaus. Ainda do Milton Hatoum, logo lerei A cidade ilhada e espero que seja uma leitura tão positiva quanto Dois Irmãos foi.

Siga o blog nas redes sociais:

Facebook | TwitterInstagram | YouTube | Skoob | Snapchat: milacavalcante

Resenha: A rainha vermelha

Victoria Aveyard, Edição 1 – Editora Seguinte – 424 páginas. ISBN: 978-85-6576-569-5

Sinopse: O mundo de Mare Barrow é dividido pelo sangue: vermelho ou prateado. Mare e sua família são vermelhos: plebeus, humildes, destinados a servir uma elite prateada cujos poderes sobrenaturais os tornam quase deuses.
Mare rouba o que pode para ajudar sua família a sobreviver e não tem esperanças de escapar do vilarejo miserável onde mora. Entretanto, numa reviravolta do destino, ela consegue um emprego no palácio real, onde, em frente ao rei e a toda a nobreza, descobre que tem um poder misterioso… Mas como isso seria possível, se seu sangue é vermelho?
Em meio às intrigas dos nobres prateados, as ações da garota vão desencadear uma dança violenta e fatal, que colocará príncipe contra príncipe – e Mare contra seu próprio coração.

A Rainha Vermelha é mais um conto da gata borralheira: a menina pobre sem a menor perspectiva de futuro – apenas a guerra – tem sua reviravolta inesperada e acaba no castelo rodeada de príncipes e mordomia. Mare Barrow poderia ser uma Cinderela da vida mas as coisas não melhoram tão de repente assim para ela. Nesta distopia, a sociedade é dividida pelo sangue: vermelho ou prateado. Mare é uma vermelha, ou seja, ela é pobre e deve servir aos prateados que se consideram superiores por causa da cor de seu sangue e por possuírem poderes especiais.
Mare está quase completando 18 anos e sabe o que vem a seguir: será enviada para lutar uma guerra onde poucos sangue vermelhos voltam para casa com vida. Sua única saída é arranjar um emprego ou fugir. O problema é que fugir não é tão simples quanto ela gostaria e Mare acaba se envolvendo em confusões que colocam sua família em perigo. Quando não havia mais esperança de fugir, um garoto desconhecido consegue um emprego para ela no palácio.
Satisfeita por ser dispensada da guerra, Mare nunca imaginaria o que aconteceria em seguida. A vida dos prateados era extremamente diferente da vida dos vermelhos e isso ficava mais perceptível para Mare ao ver tudo aquilo com os próprios olhos. Os prateados eram super poderosos e viviam como deuses com os vermelhos servindo-lhes. Mas durante uma seleção de princesas para o príncipe (o que ironicamente me fez lembrar de A Seleção) um acidente acontece e Mare descobre ter poderes especiais tais como um prateado. Por decisão do Rei, que apenas a manteve viva por todos os prateados terem visto a vermelha com poderes, Mare deve fingir ser uma prateada para proteger sua família e sua vida.
Mare passa a viver com todas as mordomias de uma prateada, se enfurecendo cada vez mais com a desigualdade entre eles e seu povo. Essa raiva acaba cegando-a e querendo se rebelar contra os prateados. Ficando cada vez mais poderosa por treinar seus poderes e tentando aprender a ser uma prateada, Mare percebe que está em um lugar muito perigoso onde não pode confiar em ninguém.
A história tinha tudo pra ser uma boa distopia monárquica, se é que existe essa categoria. Mas não conseguiu. Infelizmente, faltou originalidade a história. Não gosto de fazer comparações mas é impossível nesse caso. A semelhança entre essa história e A Seleção é notável no início da trama. Mari e Meri poderiam ser vizinhas. Isso tirou um pouco da expectativa que eu tinha pela história.
O romance também não foi bem desenvolvido. Não esperava um romance água com açúcar, mas houve várias tentativas de romance pela autora, todas mal sucedidas. Primeiro, o seu vizinho orfão que parecia prestes a sair da friendzone mas permaneceu lá. Segundo, o princípe regente prometido a outra pessoa mas que surge uma troca de olhares e… nada. Rolou a faísca e nada. Nadinha. Terceiro, o príncipe caçula com uma química forçada e nenhum jeito de levar adiante. Foi péssimo. Talvez no próximo volume o romance seja melhor explorado. Outra coisa a ser mais explorada em Espada de Vidro são os personagens superficiais. Mare aceitava tudo o que estava acontecendo sem desconfiar de nada quando era um tanto óbvio que algo estava errado.
Apesar de todas as coisas que deixaram a desejar, eu gostei da história. Eu estou torcendo para que no próximo livro as coisas que citei melhorem mas como um todo é uma leitura agradável. A escrita da autora é bem suave, sem muitas palavras difíceis e te faz ter vontade de continuar a ler. Outra coisa que me deixou com vontade de ler a continuação foi o desfecho. A reviravolta que aconteceu já era esperada mas mesmo assim foi boa e deixou a curiosidade de saber o que iria acontecer com todos. Por último, preciso elogiar a capa do livro. A coroa escorrendo sangue ficou demais. A Editora Seguinte está de parabéns. Agora é aguardar o lançamento de Espada de Vidro que coincidentemente será lançado no dia do meu aniversário: 12 de fevereiro.

Resenha: Coraline

Coraline é o segundo livro que eu li do Neil Gaiman e é de longe o meu favorito. A história é contada do ponto de vista de Coraline, uma criança que se mudou para uma casa enorme que fora dividida em 4 flats. Entre seus vizinhos, temos os personagens mais excêntricos da história, como a Miss Spinky e Miss F orcible, duas senhoras que quando jovens foram atrizes e o Mister Bobo que mora no andar de cima e treina ratos.
Nossa protagonista é uma criança aventureira e curiosa que se sente entediada em sua casa pois não tem muito o que fazer. Além dessa desventura, seus pais não lhe dão atenção, nem sabem cozinhar direito o que faz Coraline ser um tanto infeliz com sua vida. Certo dia, enquanto explorava a sua casa em um dia de chuva, Coraline encontrou uma portinha trancada mas quando sua mãe a destrancou, ela levava apenas a uma parede de tijolos.
O fantástico da história acontece quando Coraline volta a olhar pela porta e descobre uma passagem secreta que dá em outro mundo parecido com o que ela vive mas melhor. Lá, ela conhece a sua ”outra mãe”, uma mulher igual a mãe dela porém mais atenciosa, carinhosa e cheia de amor para dar para a garota. A diferença maior estão em seus olhos que ao invés de serem castanhos normais eram grandes botões pretos. Além disso, tudo na casa estava melhor, ela tinha brinquedos incríveis, comidas incríveis, vizinhos iguais aos seus vizinhos mas muito mais interessantes, ou seja, a sua vida estava do jeito que ela sempre sonhara.coraline2

Encantada com aquela vida, Coraline queria ficar lá para sempre mas para ficar lá ela teria que costurar botões em seus olhos. Meio macabro, né?  Pouco a pouco ela vai descobrindo que toda aquela vida não passa de uma grande ilusão que pôs em risco a sua vida e a de sua família verdadeira.
Coraline é uma leitura incrível. Tecnicamente é uma história para crianças mas é tão sombria que deixa até adultos desconfortáveis. A escrita é simples e flui com facilidade. A história tem certa semelhança com As crônicas de Nárnia e Alice no país das maravilhas, ou seja, muito boa. Vale a pena com certeza.
Além disso, Coraline já possui uma adaptação cinematográfica lançada em 2009 e dirigida pelo Henry Selicke uma versão em HQ assinada pelo quadrinista P. Craig. Há boatos que haverá uma continuação do filme intitulado ”Coraline e o mundo secreto 2” mas nada confirmado até então.coraline1

Vídeo: Book Haul da falência – Novembro 2015

O post de hoje é o book haul do mês de Novembro. Eu sei, já estamos chegando na metade de Dezembro. Let it go. O mês de Novembro foi o mês que eu mais gastei com livros. Resultado: antes do dia 15 já tinha gasto 50% do meu salário em livros (a outra metade foi em gasolina). A primeira remessa (5 livros) foram comprados na Livraria Valer que fez uma super promoção porque iria fechar as portas. Não lembro exatamente o preço de cada livro mas o total das compras foi 56 reais.

Garota Exemplar e Como narrar uma história eu mais ou menos ganhei (longa história). Objetos cortantes e Caixa de Pássaros  comprei numa promoção da Saraiva onde você comprava 3 livros e pagava por 2. O terceiro livro foi Para todos os garotos que já amei, que na verdade, foi comprado para minha amiga. A última remessa de livros eu comprei porque estava triste e resolvi comprar, simples assim.

Jane Eyere e Emmagyllian flinn livroscaixa de passaroslivros do book haul novembromilton hatouma marca de atena

Acompanhem o blog nas redes sociais:

Facebook | TwitterInstagram | YouTube | Skoob | Snapchat: milacavalcante

Resenha: Um ano inesquecível

Paula Pimenta, Babi Dewet, Bruna Vieira Thalita Rebouças – 397 páginas – Belo Horizonte: Editora Gutemberg, 2015. ISBN: 978-85-8235-311-0um ano inesquecivel post

Sinopse: Dizem por aí que os melhores momentos da vida são vividos na juventude: os primeiros amores, os encontros, as festas, as viagens, as surpresas… E são sempre os instantes inesperados que transformam um dia comum em uma lembrança especial, daquelas que nunca nos deixam.
Neste livro inesquecível você irá acompanhar uma viagem de inverno, um outono decisivo, uma paixão que nasce junto com a primavera e um intenso amor de verão. Paula Pimenta, Babi Dewet, Bruna Vieira e Thalita Rebouças nos levam através das quatro estações do ano e de quatro histórias que serão lembradas por uma vida inteira.

Enquanto a neve cair – Paula Pimenta

O conto da Paula Pimenta se passa no inverno. Sua protagonista é a Mabel, uma menina de 14 anos quase nos 15 anos que pretende passar o último fim de semana das férias junto com a sua turma no sítio de uma amiga. Ela está super empolgada com o programa, porque o garoto que ela é afim também vai e ficou solteiro. Entretanto, seus pais pretendendo animá-la porque esse mesmo menino já havia a magoado, compraram passagens para passar uma semana no Vale Nevado, no Chile. Programa que, eles sempre faziam como uma lua de mel, mas que dessa vez fizeram questão de levar os filhos.
Mabel fica chateada e faz de tudo para não ir, o que piora as coisas e ela termina indo do mesmo jeito mas sem celular e com uma chatice enorme nas costas. No começo achei a personagem bem irritante e mal agradecida com tanta reclamação que ela fazia. Mas depois de um tempinho ela foi melhorando. O principal motivo de sua melhora foi um garoto que ela conheceu e odiou no começo. Depois de um episódio perigoso em que ela foi salva pelo dito cujo, Mabel passa a gostar do lugar, das pessoas e principalmente de Benjamin. Mas o inverno está para acabar e o futuro é incerto.
Esse conto foi um dos meus favoritos. Ainda não tinha lido nada da Paula Pimenta e gostei muito da escrita leve dela. A história foi bem construída, a Mabel é uma típica adolescente, o que deixa tudo bastante agradável de ler. O romance é fofinho e aceitável, não foi do tipo que surgiu no piscar de olhos. Foi gradativamente encantando, assim como esse conto.
O som dos sentimentos – Babi Deweto som dos sentimentos babi dewet
João Paulo é um apaixonado por música que toca seu violão na frente do MASP, em São Paulo para arrecadar dinheiro para ajudar uma ONG. Anna Julia é uma adolescente viciada em ouvir podcasts e pretende fazer Direito, carreira que seu pai escolhera mas ela agarrara para si. Devido a isso, seu pai arranjou um estágio de Direito para ela num escritório na Avenida Paulista. O caminho dos dois se cruzam diariamente com troca de olhares e sorrisos mas nenhum contato real.
Quando os dois começam a conversar de verdade, Anna Julia vai aprendendo o poder que a música tem sobre as pessoas e como nossos sentimentos podem ser maiores que nossas vontades. Esse foi de longe meu conto favorito. Foi muito interessante ver como a música é importante na vida das pessoas, como pode alterar suas emoções, direcionar seus sentimentos. E mais uma vez o conto me deixou apaixonada. Adorei a forma que a Babi criou a relação deles e como tudo aconteceu. A história teve um começo, meio e fim dignos. Com certeza, a melhor.
A matemática das flores – Bruna Vieira
Comprei o livro especialmente por causa do conto da Bruna Vieira. Acompanho-a pelas redes sociais e sabia que ela tinha talento, mas nunca tinha lido um de seus livros. Estava realmente interessada em ler seu conto. A história é sobre a Jasmine, uma garota de 17 anos que está no último ano do Ensino Médio e quase reprovada em Matemática. Devido a isso, sua mãe, juntamente com seu professor de matemática (que ela odeia) e a diretora de sua escola, decidem que ela fará aulas de reforço com o professor para tentar resolver sua situação.
Mesmo não querendo ela aceita e vai para as aulas de reforço. As coisas melhoram quando seu professor de matemática não pode dar as aulas e ela têm que fazer as aulas com o Davi, um universitário que o seu professor indicou para ensiná-la. Jasmine já havia encontrado com Davi antes, no metrô, interessado na música que ele estava ouvindo alto no fone, mas ele não havia notado a garota. Depois de um tempo tendo as aulas, fica óbvio que os dois se gostam e eles acabam ficando juntos mas alguns problemas fazem a situação sair do controle. Gostei muito do conto da Bruna, ela realmente escreve maravilhosamente bem e merece todo o sucesso que está fazendo. O romance do conto é inacreditável mesmo tendo um enredo meio clichê (romance entre aluna e professor) ficou bastante original e agradável. Foi um conto bem construído, com personagens maravilhosos e situações cotidianas que todos nós nos identificamos. Maravilhoso.
Amor de Carnaval – Thalita Rebouçasamor de carnaval
O último conto se passa no verão e conta a história da Kaká, da Inha e da Tati, três amigas de infância que são muito diferentes e ao mesmo tempo muito semelhantes. Kaká quer se casar com um príncipe, Tati quer ser uma celebridade e Inha só quer ser uma ótima profissional. Bom, as três vão passar o reveillon em Buzios e no dia seguinte, o que mais está se falando na mídia é o namoro entre o irmão da Tati, o jogador de futebol Wylson Kleybber e a funkeira mais querida do Brasil Keilinha Kero-Kero. Tati, que faz de tudo para aparecer pega carona na fama repentina do irmão.
A história começa a se desenrolar no Carnaval, quando as meninas vão para um camarote assistir os desfiles das escolas de samba e Inha conhece um garoto chamado Guima que aparenta estar muito interessado nela. Ainda magoada com o último relacionamento que esteve, ela fica hesitante e também não faz o tipo que fica com garotos desconhecidos no Carnaval. Porém, até o final da noite ela começa a se interessar por ele e até trocam um beijinho. No dia seguinte, uma grande bomba explode na cabeça dela (metaforicamente) e muitas revelações são feitas sobre o que aconteceu na noite anterior.
A escrita da Thalita é a cara do verão: leve, divertida e arranca boas risadas. Honestamente não gostei do romance do conto, se tornando superficial demais. Para compensar, a amizade das três garotas é a principal característica da história. O desfecho do conto deixou a desejar mas vale a pena ler.

Onde comprar?

Livraria Saraiva – R$ 22,70

Amazon – R$ 19,40

Submarino – R$ 20,99

Vídeo: Livros do mês de Outubro

Estou tendo uma overdose de livros esse mês gente, chama o Samu! Brincadeiras a parte (ou nem tanto), para quem não sabe inaugurei esse mês o Canal do YouTube do Blog (clique aqui  para se inscrever, assistir os vídeos, dar um like e ser muito feliz) e resolvi fechar o mês mostrando todos os livros que eu comprei esse mês. Estou gostando muito de fazer vídeos pro canal, espero que vocês também estejam gostando.

Se você não viu as outras resenhas que eu fiz, eis os links:

  1. A 5ª Onda – Rick Yancey
  2. The Carrie Diaries – Candace Bushnell
  3. Meu Universo Particular – Frederico Elboni