Resenha: A Escolha

Kiera Cass, 351 páginas, São Paulo – 2014, Editora Seguinte, Título Original: The One

edit3

Para quem não conhece a série, o enredo se passa em Illéa, uma monarquia dividida em Castas, onde o príncipe, por meio de um concurso chamado A Seleção deve escolher a sua esposa e futura Rainha entre as 32 selecionadas. America, a protagonista, é uma Cinco ou seja, está na casta dos músicos, artistas plásticos, fotógrafos e semelhantes, onde, apesar de não ser da Casta mais baixa – Os Oito – sua família sofre para se sustentar. America também esconde um segredo: é apaixonada por um Seis, um homem trabalhador que perdera o pai e tinha que trabalhar desde cedo para sustentar seus seis irmãos, Aspen Leger. Apesar das dificuldades de pertenceram a castas diferentes, o casal pretendia se casar, mas Aspen sabe que se casar com um Seis, America sofreria e termina com a garota.

America, mesmo sem ter interesse em se tornar princesa, se inscreve a pedido da mãe no concurso e para sua surpresa é uma das selecionadas. Magoada por seu amor, ela decide ir ao castelo aproveitar as mordomias até ser eliminada, o que inesperadamente, demora a acontecer. America então se vê criando uma paixão pelo príncipe Maxon e gostando do rumo que as coisas iam, mas então Aspen aparece no castelo como soldado e seus sentimentos viram de ponta cabeça.

Estava cansada da competição. Precisava terminar de vez com Aspen. Lutaria por Maxon.

aescolha2Para começar, devo dizer que a série inteira é uma leitura ótima, a Kiera Cass escreve de modo que a leitura flui facilmente, mas o final foi típico de contos de fadas. Não me surpreenderia se a Disney fizesse uma adaptação para os cinemas, na verdade adoraria. Não que terminar com finais felizes seja ruim, mas foi óbvio demais. Em A escolha, só restam quatro selecionadas e a cada dia o Rei pressiona mais Maxon a acabar com a Seleção. Os rebeldes que eram muito citados nos livros anteriores agora estão presentes de verdade na estória e para mim, que esperava algo grandioso dos rebeldes fiquei decepcionada. Apesar de conhecermos um pouco mais dos rebeldes do Norte e alguns de seus integrantes, continuamos sem conhecer ninguém dos rebeldes do Sul, que eram os que faziam a ação acontecer. Os rebeldes foram jogados na estória de forma muito superficial.

A Escolha em si, é mais focada no romance de Maxon e America e no amadurecimento desses personagens. Desde o começo vemos que Meri não quer deixar ser consumida pelas regras do Rei e apesar do medo, fica claro que ela não vai fazer o que não se sentir à vontade. Estejam preparados para a Condenação, foi a melhor parte do livro. Maxon, apesar de algumas atitudes dele serem irritantes, finalmente mostra potencial para ser um Rei de verdade, o que demonstra claramente seu amadurecimento. Para mim, America e Maxon se completam, um se apoia no outro em decisões e desafios e isso é algo muito bonito, pois vemos a estória se desenvolvendo para o grande final de conto de fadas. Em relação a Aspen, achei o desfecho que criaram para ele muito forçado, para quem antes dizia amar incondicionalmente, ele até que a esqueceu bem rápido, mas pelo menos não mataram ele só pra America ficar com o Maxon por ser a única opção.aescolha3

Como um todo, a série é ótima e deliciosa de ler. A capa é maravilhosa, a revisão foi perfeita e não tem a aquela folha branca que dói os olhos ao ler. Ouvi por aí que a Kiera Cass vai escrever um conto intitulado de A Rainha e eu estou ansiosíssima para ler. Acho que todos estão curiosos para saber como nossa America vai se comportar como rainha, né? Um ótimo conto de fadas moderno, com muito romance, ação e tensão política.

Anúncios